13 Dicas para uma Boa Saúde Mental

Todos os anos, no dia 10 de outubro, celebramos o Dia Mundial da Saúde Mental com o objetivo, conforme definido pela OMS, de aumentar a consciencialização sobre as questões de saúde mental em todo o mundo e mobilizar esforços a favor da saúde mental.

Numa era caracterizada por uma vida de ritmo acelerado, estilo de vida consumido pelo digital, e distanciamento social (provocado pela tecnologia e atualmente ampliado pela pandemia Covid-19), é inevitável prejudicar a saúde mental.

 

A tua saúde mental juntamente com a saúde emocional, é a área mais importante da tua saúde holística e deves ter um cuidado especial com ela.
— Anita D’Ambrosio, Health Coach Holística

 

Se perdes a tua saúde mental, não serás capaz de fazer nada. Pensa nisso!

 

Os motivos que geralmente levam a problemas de saúde mental, para além de traumas ou abusos na infância (ou eventualmente quaisquer transtornos mentais específicos), são devidos à situações de stress prolongadas, frustração com o trabalho profissional atual ou desemprego, dívidas ou problemas económicos, solidão ou isolamento social, ambiente familiar pobre, relações tóxicas…
— Anita D’Ambrosio, Health Coach Holística<

 

A linha que separa uma boa saúde mental de uma má saúde mental é tão fina que é importante saber o que podes fazer para prevenires problemas de saúde como insónias, esgotamento, depressão, ansiedade ou problemas mais críticos.

É por isso que dedico um artigo a este importante tópico para te ajudar, especialmente no momento difícil que estamos a passar.

Aqui vão 13 DICAS PARA PROMOVER UMA BOA SAÚDE MENTAL:

1. Descansa e desconecta: O teu cérebro, assim como o resto do corpo, precisa se desconectar. Passamos o dia todo a receber muitos estímulos. Consegues imaginar a quantidade de informação que o teu cérebro está constantemente a processar? Aprende a descansar, a desconectar também dos dispositivos eletrónicos, os quais não ajudam a relaxar porque criam uma espécie de vício e sobrecarregam o nosso cérebro. (Se quiseres saber mais sobre o Desintoxicação Digital, lê este artigo). Dorme o suficiente para que o teu cérebro absorva todas as informações e as armazene na memória para teres acesso a elas facilmente. Cada pessoa tem necessidades de sono diferentes, então dorme o que for mais adequado para o teu corpo se sentir completamente descansado.

2. Expressa as tuas emoções, como te sentes: Pode ser a conversar com um amigo, com alguém da tua família, ou pintar, fazer cerâmica, jardinar, cantar, dançar… são muitas as formas de expressar o que sentes! O que precisas evitar é reprimir as tuas emoções. Se continuares a reprimir as tuas emoções ao longo do tempo, elas transformam-se em doenças, algumas delas mentais. Encontra as atividades que mais se adequam a ti para expressares as tuas emoções e aplica-as semanalmente!

3. Faz parte de uma comunidade ou grupo de interesse: Somos seres sociais, não podemos viver isolados. A modernização levou principalmente à separação entre as pessoas, mesmo que em alguns casos nos aproximemos por meio da tecnologia, mas na verdade as pessoas nunca se sentiram tão solitárias como agora. Estamos a viver numa era de consumismo rápido, não apenas de objetos, mas também de relacionamentos, e isso causa problemas a nível mental. Somos feitos para termos uma conexão e contato físicos. Por este motivo, é muito importante fazeres parte de um grupo de interesse ou da tua comunidade local e envolver-te nas suas atividades.

4. Aprende sempre algo novo: A aprendizagem ao longo da vida é importante para mantermos o nosso cérebro saudável. O nosso cérebro é como um músculo, temos que treiná-lo constantemente para funcionar corretamente e ser capaz de executar as atividades com eficiência. Isso não significa que tenhas de preencheres a tua agenda com vários cursos todos os meses, mas deves aprender por meio de livros, cursos em vídeo, podcasts, etc. ao teu próprio ritmo durante toda a tua vida, de modo a promoveres a agilidade mental, a boa memória, a abertura mental, a capacidade analítica, as habilidades de resolução de problemas, a empatia e a concentração.

5. Alimenta-te com bons alimentos: Escolhe alimentos vivos e naturais e evita alimentos artificiais e ultra processados. Quando compras alimentos previamente cozidos ou processados muitas vezes, estás a dar zero nutrientes às células. As tuas células funcionam com eficiência quando recebem alimentos naturais, o que significa que foram projetadas para absorver, digerir e transformar alimentos em energia. Quando comes alimentos vivos e naturais, o teu cérebro fica mais eficiente, não tens aquela sensação nebulosa. Sentes-te com mais energia, mais rápido/a, mais produtivo/a, com bom humor, mais paciente, porque está a dar ao teu corpo o combustível adequado. Tão simples como isso!

6. Mexe o teu corpo: Sua! Não serve apenas para ajudar o teu corpo a liberar toxinas, ter um peso adequado ou prevenir doenças cardiovasculares, mas também para ter um impacto positivo a nível emocional e mental. O exercício físico consiste num processo químico que liberta hormônios que elevam o teu humor, melhoram a tua autoestima e combatem a depressão ou a ansiedade. Todos os dias, mexe-te pelo menos 30 minutos, incluindo alongamento e alguns exercícios para corrigir a tua postura (clica aqui para fazer download do e-book gratuito para a correção de posturas). Podes começar devagar e, depois, adicionar progressivamente mais minutos, mais velocidade, mais exercícios.

7. Vive no momento presente: Para de viver em modo piloto automático! Uma forma mais saudável de viveres a tua vida é, sem dúvida, estares presente em tudo o que fazes. Recebeste o dom dos sentidos para experimentares a tua presença neste mundo. Quando nos distanciamos da vida e do momento presente, sentimos tudo, mas não a felicidade. Habitua-te a estares presente em tudo o que fazes: desde comer até socializar, desde praticar desporto até respirar. É um presente estar vivo/a, dá-lhe o valor adequado. Experimenta em cada momento, tudo o que fazes. Meditação, foco na respiração e técnicas de grounding ajudam a estar mais presente.

8. Solicita ajuda de um especialista: Há uma convicção geral de que pedir ajuda é um sinal de fraqueza, ou que estás louco/a. Acredita em mim, não és fraco/a! Pedir ajuda é sinal de força! Significa que reconheces que num momento específico da tua vida não estás a sentir-te bem e desejas sentir-te bem, para retomar o controlo da tua vida duma forma diferente. Fica mais ciente do que queres depois de ter aprendido a lição e queres saber como podes crescer, expandir e desenvolver. A ajuda profissional dá-nos uma perspetiva completamente diferente e pode-nos ensinar “ferramentas” poderosas de desenvolvimento pessoal para aplicar na nossa rotina diária.

9. Permite-te sorrir e rir mais: Algo que aprendi com a experiência é o efeito terapêutico do riso, especialmente em dias tristes ou difíceis. Quando estamos tristes ou estamos a passar por um período difícil, tendemos a nos empurrar ainda mais para esse estado emocional negativo. E eu percebi que és o/ único/a que pode escolher se quer fazer o humor negativo durar mais ou reduzi-lo aos poucos. Então, ajuda-te em momentos tristes ou dias maus com vídeos engraçados ou comédia stand-up e ri. Existem inúmeras razões para sorrir e rir.

10. Procura motivos pelos quais ser grato/a: Praticar a gratidão todos os dias é uma ferramenta poderosa que melhora a tua saúde mental e afasta críticas e pensamentos negativos. Se conseguires encontrares 3 motivos para seres grato/a cada dia e anotá-los, mudarás a tua mentalidade depois de algumas semanas e começarás a dar importância ao que realmente importa e não ficarás chateado/a por aquilo que não vale a pena e te consome mentalmente, energeticamente, emocionalmente e fisicamente.

11. Faz com mais frequência o que amas: É fundamental dedicares tempo para seguires os teus interesses, pois quando fazes as atividades que adoras, estás a permitir-te melhorar o teu humor. Se te cuidares a um nível mais profundo por meio de teus hobbies, sentir-te-ás mais feliz e completo/a e, como consequência, saberás gerir as responsabilidades diárias com mais eficiência. Todas as atividades que te relaxam, estimulam, estimulam sua criatividade, melhoram a tua autoestima e autoconfiança, ajudam-te a te alinhares com a tua natureza e alcançar o equilíbrio na tua vida. Isso ajudará também a tua saúde mental, porque aprenderás a desconectar-te e a aproveitar a vida.

12. Evita o multitasking: Há uma tendência nos últimos anos de considerar o multitasking de forma positiva, e esse é um dos principais requisitos nos processos de recrutamento. Eu costumava ser multitasking em muitas situações, mas finalmente entendi que causa mais stress, reduz a produtividade e a eficiência. Podes fazer diferentes “atividades mais leves” ao mesmo tempo que não requerem um processo mental mais elaborado, mas quando precisas fazer algo mais intelectual, não podes ser multitasking porque algumas das atividades que estás a fazer simultaneamente não irão ser executada de forma eficiente. Além da eficiência, isso também aumentará a tua produtividade.

13. Evita a procrastinação: A procrastinação é um falso amigo. É uma forma de autossabotagem. Promete a ti próprio fazer algo mais tarde e, finalmente, adias até uma data indefinida. Isso pode causar sentimentos de frustração e incapacidade, amplificar a baixa autoestima… com o resultado de te fazer viver num estado mental negativo de escassez. Vai mais ao fundo da questão e explora os motivos pelos quais estás a procrastinar. Tens medo de alguma coisa? Realmente queres fazer essa ação? Pergunta a ti próprio.

Investe na tua saúde mental. Começa a aplicar essas dicas como forma de prevenção e manutenção da tua saúde.

Lembra-te que tu determinas a saúde de tua mente pela maneira como pensas e ages em alinhamento com o que sentes. 😊

Espero que essas dicas te ajudem a começar a trabalhar em ti!

Escreve um comentário